17.03.2020

O risco de estar sempre ocupado

Você está sempre muito ocupado? Depois de alguns anos conversando com profissionais percebi que um dos comportamentos mais improdutivos é não conseguir gerenciar bem o tempo. 

Muitas vezes o estar ocupado é entendido como um distintivo de honra. Há também a adrenalina e a emoção de ter o trabalho em suas mãos, e com isso caímos nesse equívoco: para sermos bem sucedidos precisamos estar sempre com nossas agendas repletas de compromissos.

Sem tempo para nada e para ninguém, seguimos acreditando que quanto mais assumirmos compromissos, mais seremos recompensados e mais sucesso teremos.

Um dos principais problemas desse comportamento está relacionado, principalmente, com o distanciamento das pessoas. Isso impacta diretamente na performance de uma liderança. As pessoas desistem de falar com você, porque você deixou claro que está ocupado, que sempre tem algo mais importante para fazer. Sem contar o quanto isso prejudica sua saúde, seus relacionamentos no trabalho e em casa.

No início da carreira parece até importante ser esse líder ocupado. No entanto, com o passar do tempo – e com muito mais experiência – entendemos que ter tempo é uma característica de profissionais bem sucedidos. 

Quando sua agenda está totalmente preenchida não dá tempo de pensar estrategicamente, e isso certamente colocará sua carreira e seu negócio em risco.

Imagine o que isso significa para o crescimento da sua equipe: você não ter tempo para treiná-los, para dar feedbacks produtivos, fazer alinhamentos de expectativas, resolver problemas antes que eles se tornem grandes demais para serem solucionados. Isso pode ter um grande impacto negativo!

COMO É POSSÍVEL MELHORAR SUA GESTÃO DO TEMPO?

Criar uma flexibilidade na sua agenda pode ser uma ação importante para gerenciar melhor esse comportamento improdutivo. Pense nas consequências para seus relacionamentos e para sua carreira. Poder pensar mais estrategicamente, conseguir se conectar melhor com sua equipe, ou ter mais tempo para fazer algo diferente com seus amigos e familiares.

Com meus clientes, começo sempre pelo aumento da consciência em relação a esse ponto chave: ter uma maior compreensão de que nem sempre é bom estar muito ocupado.

Depois, descobrimos juntos o que causa o comportamento improdutivo de estar ocupado o tempo todo. Então, conseguimos trabalhar em cima do gatilho que dispara essa má gestão.

Construímos uma lista de benefícios para a mudança desse novo comportamento e, com isso, automaticamente vem um desencadeamento de soluções possíveis e tudo vai se tornando mais compreensível. Esse processo descomplica a mudança, facilita fazer algo de forma diferente e nova, e aumenta suas chances de sucesso nessa evolução.

Discutimos ações simples que vão desde delegar eficientemente, dizer não para algumas demandas que não são tão essenciais, ter tempo disponível para conversar com sua equipe ou ainda dar mais atenção às pessoas que mais importam na sua vida. Começamos a construir uma nova realidade!

Eu certamente estive nesse desafio por muitas vezes, buscando conciliar carreira, filhos, família e meus compromissos pessoais. E a conclusão que chego é que a falta de tempo nos afasta da vida que desejamos ter.

E com você, como seria se permitir criar alguma flexibilidade na sua agenda e deixar de ser tão ocupado? Qual seria o primeiro passo para você começar essa mudança? Como seria ter mais tempo para as pessoas que precisam de você?

Veja também

Por que me sentir incomodado é bom profissionalmente
22.03.2019
O que fazer quando você sente sua carreira estagnada?
04.09.2019
Como ir do bom para o ótimo com um processo de Coaching Comportamental?
07.05.2019
PLANEJAMENTO: POR QUE FAZER?
15.01.2020